sexta-feira, 3 de setembro de 2010

MÚSICA

É a arte e a técnica de criar melodias combinando ritmos e sons vocais, instrumentais, acústicos ou eletrônicos. Esse bacharel pode compor, reger e interpretar obras eruditas e populares. Como compositor, cria peças e anota-as em partituras para ser executadas por instrumentistas e cantores. Como arranjador, faz versões de uma peça musical. Como maestro, dirige orquestras, bandas, conjuntos instrumentais e vocais. Já como intérprete, pode se especializar na execução de determinado instrumento ou dedicar-se ao canto. Atua em concertos, espetáculos, gravações de trilhas sonoras e de CDs, cria jingles para filmes comerciais e publicitários e dá aulas. Pode trabalhar em estúdios de gravação, produzindo música com aparelhos eletrônicos, ou trabalhar com a sonorização de espetáculos musicais e teatrais. Seja qual for sua área de atuação, é necessário que ele tenha domínio de programas de computação que controlam o registro e a edição de arranjos musicais em equipamentos digitais de reprodução e gravação.

O mercado de trabalho
Dentre as diversas atividades que os bacharéis em Música podem exercer – e geralmente simultaneamente, já que driblar a concorrência com músicos autodidatas e egressos de cursos livre sé um desafio –, a educação musical é a que mais demanda postos de trabalho. Recentemente, a disciplina tornou-se obrigatória nos ensinos Fundamental e Médio e ainda não há profissionais formados em número suficiente para atender a todo o país. A expectativa é que dobre o número de vagas nos próximos anos, garantindo a expansão da profissão. Além do setor educacional, o bacharel pode atuar como compositor, arranjador, produtor musical, maestro e intérprete em áreas que vão da regência à produção de jingles e ringtones para o mercado publicitário. Embora mais restrito, há espaço também para quem quiser seguir a carreira de músico erudito, seja em orquestras, conjuntos instrumentais e grupos de música de câmara. Uma novidade é o aumento da participação desse profissional em projetos sociais que têm como pilar o ensino musical. Com isso, o mapa do emprego se expandiu e hoje não está restrito aos pólos culturais tradicionais e grandes capitais. Além de São Paulo e Rio de Janeiro, há demanda nos estados de Minas Gerais, Amazonas, Roraima, Espírito Santo, Paraná e Mato Grosso do Sul.

O curso
Disciplina diária de estudo e, na maioria das escolas, alguma vivência no campo musical são pré-requisitos básicos para quem quer fazer esse curso. O processo de ingresso inclui teste de conhecimentos gerais sobre a área e uma prova de aptidão, nos quais são avaliadas a habilidade em Música. A matriz curricular tem disciplinas como história da música e da arte e percepção musical. O bacharelado oferece habilitação em canto, composição, regência e instrumento. A formação para o futuro professor de música é obtida com a licenciatura, que recebe diferentes denominações, como Educação Artística (música), Educação Musical e Música (educação musical).

O que você pode fazer

Canto
Atuar em óperas ou recitais e também em gravações. Organizar e fazer a preparação vocal de corais.

Composição e arranjo
Criar partituras musicais para instrumentistas ou cantores. Elaborar trilhas sonoras de filmes, peças teatrais, CD-ROMs e websites, assim como jingles para filmes publicitários.

Ensino
Dar aulas na pré-escola (Educação Musical), no ensino fundamental, médio e superior e também em escolas de música.

Instrumento
Tocar um instrumento como solista e em orquestras, bandas ou grupos instrumentais de formações diversas.

Pesquisa
Desenvolver pesquisas acadêmicas e de resgate de cultura na área de música.

Regência
Organizar, ensaiar e dirigir conjuntos, orquestras e corais. Escolher as peças e os intérpretes que irão executá-las. Coordenar ensaios e orientar instrumentistas e cantores.

1 Comentarios:

Tem muita gente na mídia precisando cursar Música..hauahuahuahuah..
Parabéns novamente e sempre pelo Blog e pela atitude..bjsbjs.

Postar um comentário