quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Astronomia


É a ciência que estuda o universo, confrontando teorias físicas com observações feitas por modernos telescópios. O astrônomo investiga a origem e a evolução do cosmo. Com telescópios e câmeras, observa os objetos cósmicos (estrelas, planetas, galáxias e outros corpos) e capta sua imagem para estudar seus movimentos, sua disposição pelo espaço e sua composição química. O domínio das mais modernas ferramentas de computação, utilizadas no processamento de imagens e dos dados conseguidos pelos telescópios, é fundamental para o desenvolvimento dessa área do conhecimento.

O mercado de trabalho

"O avanço tecnológico dos últimos anos propiciou um crescimento na demanda desse profissional no Brasil. A astronomia entrou na era dos grandes telescópios e rádio-telescópios, que requerem instrumentos desenvolvidos com tecnologia de ponta. Além disso, o aumento na oferta de satélites científicos tem aberto novos rumos para a astronomia espacial, que requer formação especializada na área", afirma Jane Cristina Hetem, chefe do Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP. Apesar disso, esse mercado ainda é restrito. O caminho para a maior parte dos formados é ingressar em uma pós-graduacão. Muitos institutos de pesquisa e laboratórios especializados exigem profissionais com, no mínimo, mestrado. Há espaço em planetários, escolas, museus e na área de informática científica, atuando como monitores, como divulgadores de ações educativas e desenvolvendo softwares específicos para a área. O eixo Rio-São Paulo concentra a maior parte das oportunidades. Mas existe um mercado em crescimento no Norte e Nordeste, onde predominam oportunidades nas universidades e nos centros de pesquisa.

Salário inicial: R$ 1.200,00 (correspondente ao valor de uma bolsa de mestrado; fonte: prof. Rundsthen Vasques de Nader, da UFRJ).

O curso

Engana-se quem imagina que, ao longo da graduação, ficará todo o tempo de olhos grudados no telescópio. A maioria dos modernos instrumentos de observação é manipulada por computadores e boa parte dos dados é disponibilizada na internet. Física e matemática constituem a base teórica do curso, mas o currículo procura atender também às necessidades atuais do mercado profissional. Assim, à medida que você avança na formação, pode dar ênfase à pesquisa científica, ao desenvolvimento de códigos numéricos, à área de instrumentação ou de divulgação científica. No fim do curso, para receber o diploma, é feita a defesa de uma monografia perante uma banca. Você também pode dedicar-se à Astronomia fazendo o bacharelado em Física e, depois, uma pós-graduação na área.

Duração média: quatro anos.

O que você pode fazer

Divulgação

Montar exibições, dar palestras e coordenar visitas a planetários e museus, difundindo os conhecimentos astronômicos para o público leigo.

Ensino

Dar aulas de física, matemática ou astronomia no Ensino Médio.

Pesquisa

Trabalhar em universidades, observatórios e centros de pesquisas espaciais, estudando os corpos celestes, seu tamanho e seus movimentos, bem como sua composição química, origem e evolução.

0 Comentarios:

Postar um comentário