terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Engenharia Metalúrgica


É o conjunto de conhecimentos empregados na transformação de minérios em metais e ligas metálicas e em suas aplicações industriais. Com profundo conhecimento dos metais e de suas propriedades, esse engenheiro é responsável pelo beneficiamento de minérios e por sua transformação em metais e ligas metálicas. Ele atua em todo o processo, desde extração, refino e conformação até a obtenção de produtos com estrutura e propriedades ajustadas às diferentes finalidades. Esse profissional desenvolve e adapta esses metais para os mais diversos usos industriais, desde a confecção de chapas e vigas para a construção civil até a produção de latas de refrigerante, implantes ortopédicos e trens de pouso de aviões. Ele também combina metais com outros materiais, como vidro, plástico ou cerâmica, criando compostos com novas propriedades. Presente em quase todos os segmentos industriais, esse profissional é indispensável nas indústrias de base e no setor metalúrgico.

O mercado de trabalho

Há boas expectativas para esse mercado. De acordo com os dados do último Congresso Brasileiro do Aço, realizado em maio, a previsão de produção para 2010 é de 33,2 milhões de toneladas de aço, quantidade 25% maior que a do ano passado. De olho nisso, as empresas voltaram a contratar. "E, com a exploração na camada de pré-sal, cresce a necessidade de novos aços para serem usados na tubulação que retira a matéria-prima do subterrâneo. Isso movimenta a indústria e o mercado de trabalho", afirma Geralda Duraes de Godoy, coordenadora do curso da UFMG. Empresas como Usiminas, Açominas, Vallourec & Mannesmann e ArcelorMittal são tradicionais empregadoras desse profissional. De acordo com Geralda Godoy, o setor siderúrgico é o que mais absorve os bacharéis. Eles trabalham com a extração de alumínio, cobre, ouro e a produção de aço e outros metais. Também são contratados para atuar na transformação desses metais para uso industrial, como a produção de chapas metálicas. Minas Gerais é o estado que mais emprega esses engenheiros, seguido de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul e Paraná. E o perfil desse mercado profissional vem mudando. Hoje há muitas mulheres disputando espaço num campo antes totalmente masculino. 

Salário inicial: R$ 3.060,00 (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

O curso

Os dois primeiros anos são dedicados às disciplinas básicas comuns a todas as engenharias. A partir do terceiro ano, dominam as matérias específicas, entre elas processos de transformação, metalurgia extrativa e física. O aluno cumpre boa parte da carga horária em laboratório. Também se dedica ao estudo das variáveis dos processos de produção de metais e ligas e à caracterização das propriedades desses materiais. No fim do curso são exigidos um estágio e um trabalho de conclusão. Algumas escolas oferecem formação semelhante à do curso de Engenharia de Materiais com habilitação em metais. 

Duração média: cinco anos. 

Outros nomes: Eng. de Prod. em Mat. e Metal.; Eng. Metal. e de Mat.

O que você pode fazer

Metais ferrosos

Desenvolver ligas metálicas que contenham ferro. Acompanhar as diversas fases de fabricação em usinas siderúrgicas, do planejamento ao controle de qualidade da produção.

Metais não ferrosos

Produzir ligas metálicas que não contenham ferro, como alumínio e cobre. Definir técnicas e métodos para trabalhar com cada metal.

Tratamento de metais

Controlar o processo de transformação de metais ferrosos e não ferrosos. Estudar a composição e as propriedades dos metais e definir o melhor tipo de tratamento e beneficiamento.

0 Comentarios:

Postar um comentário